Câmara aprova corte do Vale Alimentação a servidores que ganham mais de R$ 3 mil reais

Foto:Servidores lotaram o plenário da Câmara
Foto:Servidores lotaram o plenário da Câmara

Em sessão extraordinária na noite desta terça-feira (24), a Câmara de Vereadores de Herval d´Oeste aprovou o projeto que limita o benefício do Vale Alimentação à servidores que recebem até R$ 3 mil reais. A proposta, encaminhada pelo prefeito Américo Lorini, recebeu sete votos favoráveis contra três contrários. Votaram a favor: Adelar Provenci – Kiko (PR), Adilson Teixeira (Seco), Dhiego Costa (PP), Osni Silveira de Ávila (PR), Ronaldo da Rosa (PSDB), Sérgio Moacir do Nascimento – Serginho (PP) e Valdenir Antônio Rodrigues – Boca (PP). Votaram contra: Everton Parisenti (PMDB), João Marqueze (PSD) e Jucemar Katchor (PSD).

Com o plenário lotado de servidores, os vereadores da situação discursaram afirmando que o município fará uma economia de aproximadamente R$ 100 mil/mês, que será revertida em benefício da população.

“A gente não gostaria de estar votando este projeto, mas infelizmente a vida de um vereador é assim. Dói tirar benefício de funcionário, mas é um mal necessário, pois no futuro teremos outra situação”, justificou o presidente da Casa, Vanderlei Antunes da Silva, o Vande. “Desagradamos cerca de 200 a 300 funcionários, mas estamos ajudando em torno de 23 mil pessoas”, completou.

Confira o posicionamento de alguns vereadores:

Everton Parisenti – “Não é castigando somente uma classe que vamos salvar o município. Existem outras atitudes que um administrador pode tomar, como juntar secretarias, ou até mesmo comprar combustível à vista por R$ 3,00, ao invés de pagar R$ 3,99. O prefeito aumentou a carga horária dos servidores, parabéns pela iniciativa, mas aumentar serviço e cortar o Vale Alimentação? O Executivo e o Legislativo tem que fazer sua parte, cortar na carne. Um secretário precisa ganhar R$ 8 mil, se nós vereadores, que passamos pelo crivo do voto, ganhamos R$ 3 mil, e somos muito bem pagos?”

João Marqueze – “O prefeito já foi gestor por duas vezes e tem total condição administrativa de economizar em outros lugares, sem tirar dos funcionários que produzem. O Vale não é gasto, é incentivo. O servidor que ganhar R$ 100,00 a mais que o teto vai perder o Vale Alimentação, ou ainda se ganha o teto e fizer hora-extra vai perder R$ 300,00 para ganhar R$ 100,00. Isso é injusto”.

Serginho – “Deixei bem claro que em todas as votações penso no município e não isoladamente em um grupo de pessoas. Nossa cidade está um caos e são através de pequenas atitudes como essa que vamos conseguir organizar. Esse projeto foi aprovado em 2009 e a realidade era outra. A administração passada afundou o município, e a reforma administrativa que concedeu 40% de reajuste para a maioria dos servidores está refletindo hoje. Claro que este corte não vai resolver o problema do município, temos que reduzir o número de vereadores e os cargos comissionados”.

Kiko – “Sabemos que todos querem ganhar mais, mas a administração passada faliu o município e lamentavelmente temos que fazer ajustes. Também vamos fazer nossa parte na Câmara de Vereadores para que possamos resgatar a credibilidade e colocar Herval novamente nos trilhos. Tem municípios e estados que estão parcelando salários e ainda o décimo terceiro, e não queremos chegar a isso. Queremos que o servidor receba em dia seu salário”.

O Vale Alimentação concedido aos servidores atualmente é de R$ 12,48/dia, cerca de R$ 275,00/mês (22 dias trabalhados).

Veja agora

Governador Jorginho Mello inaugura serviço Aeromédico em Joaçaba

Foto: Ricardo Wolffenbüttel/Secom O Governo do Estado está ampliando o serviço aeromédico em Santa Catarina. …