Superintendente do Ministério da agricultura afirma que operação carne fraca trará prejuízos ao setor em SC

Jacir Massi (superintendente federal do MAPA em Santa Catarina).
Jacir Massi (superintendente federal do MAPA em Santa Catarina).

Após a Operação Carne Fraca, que apontou fiscalização irregular de frigoríficos no Brasil, alguns países importadores anunciaram restrições temporárias à entrada de carne brasileira, entre eles a União Europeia, Coreia do Sul e China. Estes 3 países juntos responderam por 27% das exportações brasileiras de carne em 2016.

  • União Europeia: pediu que o Brasil suspenda a exportação de empresas envolvidas
  • CHINA: carnes brasileiras estão retidas nos portos
  • COREIA DO SUL: baniu frangos da BRF; empresa diz que não foi notificada
  • CHILE: suspendeu temporariamente a importação de carnes

O governo brasileiro trabalha para que as restrições fiquem restritas somente às 21 unidades investigadas, e não a todas exportadoras. Durante um evento em São Paulo nesta segunda-feira (20), o presidente Michel Temer afirmou que o agronegócio não pode ser desvalorizado por um “pequeno núcleo”.Segundo o presidente, 6 das 21 unidades suspeitas de fraudes exportaram nos últimos 60 dias. Em uma tentativa de tranquilizar os países importadores, Temer reuniu embaixadores para jantar em uma churrascaria de Brasília, no domingo. Entre as investigadas, 5 unidades já foram suspensas de forma preventiva. O superintendente do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento(MAPA) de Santa Catarina Jacir Massi, conversou com a reportagem da Rádio Líder sobre os acontecimentos.

O superintendente do MAPA em SC, destaca que esta operação causa um péssimo impacto na produção catarinense.

Segundo Jacir, o consumidor catarinense não precisa se preocupar já que a produção no estado é de altíssima qualidade.

 

Veja agora

Abraço Coletivo é realizado entre as pontes de Joaçaba e Herval d’Oeste

Na manhã desta quinta-feira (16) as pontes Jorge Lacerda e Emílio Baumgart, entre Herval d’Oeste …