Diretor presidente do Simae participou da sessão da Câmara de Vereadores de Herval d’ Oeste

Diretor presidente do Simae participou da sessão da Câmara de Vereadores de Herval d’ Oeste
Diretor presidente do Simae participou da sessão da Câmara de Vereadores de Herval d’ Oeste. Foto: Joce Pereira

O diretor presidente do Simae, Paulo Lamin esteve presente na sessão desta segunda-feira (13), atendendo a convite do vereador Ronaldo da Rosa (PSDB). Ocupando o espaço destinado a presidência, o diretor da autarquia expõe informações solicitadas pelo vereador. Informou que o Simae atende os municípios de Herval d’ Oeste, Joaçaba e Luzerna e que é autossustentável, a arrecadação é proveniente exclusivamente das tarifas de água e esgoto sanitário e também informou que a autarquia não destina recursos a nenhum dos municípios que atende.

Lamin relatou que o Simae conta com 94 funcionários para atender a uma população de 56 mil habitantes. Servidores que são responsáveis pela manutenção de 400 quilômetros de rede de água e 121 quilômetros de rede de esgoto, mais serviços administrativos. Em Herval d’ Oeste são 4.150 ligações de água, passa de sete mil economias e a cobertura de esgotamento sanitário chega a 76.67%, e o número de economias chega a 34% do total de ligações nos três municípios.

Para 2017/2021, o Simae prevê investimentos nos três municípios de cerca de R$ 44 milhões. Este ano deverão ser investidos R$ 15 milhões, recursos em obras de água, esgoto sanitário nas área urbana e rural e aquisição e equipamento para tais ações.  Em relação ao valor cobrado pela tarifa de água e de esgoto, alvo da polemica entre os vereadores, Lamin informou que o custo do metro cúbico de água é de R$1,80 e do esgotamento R$ 1,62 (R$ 26,25 a tarifa de água e R$ 21,00 de esgoto).

O ponto mais questionado pelo vereador Ronaldo da Rosa foi em relação ao fato de que é cobrado dos consumidores uma taxa mínima de consumo de água de 10 mil litros e encima deste valor 80% são cobrados pelo esgoto. Ronaldo frisa que não acha correto que o consumidor pague pela água que não utiliza e sugere que o Simae faça um estudo para que cada consumidor pague exatamente pelo que usa, o que também reduziria os valores pagos pela taxa de esgoto. “Não é justo o consumidor pagar pelo que não utilizou”. O diretor do Simae disse que esta situação já está sendo estudada. Os vereadores fizeram vários questionamentos.

Veja agora

PRF resgata gata que viajava escondida debaixo de caminhão na BR-101

Na noite dessa segunda-feira (22) na BR-101, em Paulo Lopes, policiais rodoviários federais abordaram uma …