Mão de obra carcerária proporciona economia ao município de Luzerna

O município de Luzerna vem oferecendo oportunidade de trabalho visando a ressocialização de detentos que cumprem pena no regime semiaberto no Presídio Regional de Joaçaba. Desde 2017, o município assinou um termo de cooperação com a Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania, através do Departamento de Administração Prisional (DEAP), para que detentos pudessem trabalhar em atividades de manutenção de imóveis e ajardinamento nas propriedades da Secretaria de Educação do município. O convênio é válido por 60 meses.

Mão de obra carcerária proporciona economia ao município de Luzerna
Mão de obra carcerária proporciona economia ao município de Luzerna

Através dele, os detentos podem realizar trabalho externo e recebem um salário mínimo (R$ 954) por trabalhador. Atualmente são três frentes de serviço com utilização de mão de obra carcerária: limpeza de locais públicos, ajardinamento e roçadas e nas obras da nova escola que é construída ao lado do Centro de Eventos São João Batista.

De acordo com o secretário de Administração e Finanças de Luzerna, Angelo Brandalise, 25% do valor que o detento recebe fica com a unidade prisional para ser feita a parte de manutenção do Presídio e o restante, 75%, fica com o próprio preso.

“A gente vê que para a administração pública é uma importante ferramenta, onde ano a ano ocorre a queda na arrecadação, e assim conseguimos otimizar o recurso com um valor bem mais em conta. Se for contratar um pessoal terceirizado esse valor vai girar em torno de R$ 4,6 mil por funcionário”, explica.

Conforme o secretário, em média dez detentos prestam serviços e o convênio é uma oportunidade de estar fazendo com que essas pessoas trabalhem e se sustentem. “A sociedade realmente preza por isso, que uma vez que as pessoas cumprem essas infrações e são penalizadas, que elas possam trabalhar e garantir o próprio sustento, além de se ressocializar”, completa.

A fiscalização dos serviços prestados pelos detentos compete ao município e ao DEAP, com o acompanhamento e registro dos dias trabalhados.

Para o prefeito em exercício, Juliano Schneider, o convênio é importante tanto para o município quanto para os próprios detentos. Segundo ele, é uma oportunidade que o município oferece para que eles possam trabalhar e, ao mesmo tempo, proporciona economia aos cofres públicos, uma vez que em tempos de redução de despesas devido a quedas acentuadas e constantes de receitas, enxugar a máquina pública é uma obrigação dos gestores para manter os serviços à população.

Fonte: Assessoria de Comunicação

Veja agora

Homem fica ferido após colisão na SC-453, em Ibicaré

Um caminhão I/M.Benz 417 Sprinter de Ibicaré, tombou após colisão contra um Peugeot/207HB XR, placas …